Como Guiar-se em um Não Lugar

Desconstruindo territórios geográficos e pessoais, a exposição Como Guiar-se em um Não Lugar questiona a convenção social de identidades e como elas se desenvolvem enquanto (des)construção de personas e espaços. Para além das fronteiras das cidades, das ruas, das limitações geográficas. Para além das fronteiras das convenções e expectativas sociais, da intimidade escondida, das representações e validações derivadas da exposição da persona enquanto coletividade e como isso camufla singularidades por vezes. A partir daí, pressupõe encaminhar construções do indivíduo através das escolhas subjetivas que envolvem relações de natureza e afeto.

Essa foi a minha 3 exposição individual, sendo a primeira na galeria A Casa do Cachorro Preto, em Olinda – PE. Na curadoria para a expo selecionei trabalhos derivados de um processo criativo construído desde finais de 2012. O trabalho que intitula a exposição foi desenvolvido conjuntamente com o artista Danilo Galvão, que também me cedeu as imagens com as quais criei o trabalho Dimensões do Horizonte em 2013 e a quem convidei para lançar seu vídeo LibertAção, que dialoga com essas escolhas tomadas por relações de natureza e afeto.

cartaz

Além desses trabalhos, foram expostos a série fotográfica Fronteira, que ironiza a criação de fronteira através de demarcações limítrofes encontradas na natureza; uma junção dos trabalhos Memórias Frágeis – que conta com uma série de cartas anônimas sobre lembranças, segredos e intimidades – com a série fotográfica Pertíssimo – que questiona como a proximidade excessiva pode confundir nossa percepção das coisas; e o novo trabalho Universos Possíveis, uma série híbrida em técnicas – ilustração e colagem – e conteúdo – indivíduo, cultura, natureza e cidade – que questiona como um universo ao se construir, pode destruir o outro.

TRABALHOS

dimensoes_catalogofechadodimensoes_catalogoaberto

IMG_5052

Dimensões do Horizonte. Partindo do acervo pessoal de fotografias antigas de viagem do fotógrafo Danilo Galvão, descontruo paisagens em busca do que venha a caracterizar horizonte ou mesmo impedimento de vê-lo. Seja em território urbano ou natural, terrestre ou submerso, rochoso, aquático, arenoso, aproprio-me de momentos despretensiosos que alguém dedicou a contemplação do espaço a volta, ressalto o que é natureza de horizonte e a catalogo em uma coluna vertical de possibilidades. O trabalho é apresentado como colagem em formato poster ou as tirinhas separadas em forma de catálogo.

*****

obra_fronteira

IMG_5068

Fronteira. Para além das fronteiras o espaço se amplia. Fronteira discute questões de territorialidade na dimensão da natureza. Onde ou será que ela se encaixa? Para a exposição a obra foi exposta sob uma placa de vidro colocada no sobre o piso na parte central da sala expositiva principal. Os visitantes, ao manter o olhar para as paredes, se surpreendiam ao ver a obra e se questionavam de podiam caminhar sobre ela.

*****

obra_universos1 obra_universos2 produto_universos

Universos Possíveis. No paradoxo das construções normativas humanas, onde o progresso de uma instância, por vezes, anula o desenvolver de outra, o presente trabalho propõe uma reflexão sobre coexistência de universos com forças aparentemente antagônicas.

*****

IMG_5071IMG_5038

NanquimParede. O projeto prevê uma intervenção em nanquim, com poucos pincéis, sobre paredes. A temática da ilustração sempre gira em torno de provocar rupturas, rasgos, rachaduras nas paredes em contextos que sobressaiam a viscosidade e potência da natureza. Além dessa ilustração que ficou na casa só durante a mostra, outra ilustração do projeto também estampa a fachada da galeria juntamente a trabalhos de outros artistas.

*****

IMG_5073

LibertAção [Danilo Galvão – artista convidado]. Dialogando com universos territoriais e afetivos, convidei o artista Danilo Galvão para lançar seu vídeo LibertAção dentro da expo Como Guiar-se em um Não Lugar. Como expositivo, o vídeo foi exibido em um ipod com a tela quebrada, ao lado do tecido sobre o qual foi feito o atentado libertário ainda com resquícios de vidro e da plantinha liberta.

*****

obra_comoguiarse2 produto_comoguiarse1 produto_comoguiarse2

IMG_5034

IMG_5045

Como Guiar-se em um Não Lugar [Nathalia Queiroz e Danilo Galvão – trabalho colaborativo]. Para além das fronteiras o espaço se aplia. Essa obra atenta sobre as (re)apropriações do espaço geográfico e suas (re)construções, levantando o debate sobre as questões de territorialidade identidade. O trabalho consiste em refações de mapas através de colagem e sublimação de suas características convencionais de identidade, como nomes de rua e outros indicativos, construindo assim um Não Lugar. Para a exposição essa matriz foi reproduzida em impressão ploter e colada como lambe-lambe em uma das salas da galeria.

*****

obra_memoriasfrageis

IMG_5061

Memórias Frágeis, Confio em Você. Confeccionei em torno de 300 envelopes costurados e grafados com pontilismo artesanalmente, contendo memórias minhas, dentre recortes de diários, fotos, objetos e outros guardados, e também segredos de anônimos que me foram revelados diretamente através de redes sociais. Todos misturados e sem assinatura configurando uma malha de memória coletiva revelada ao visitante da exposição com base na confiança que depositamos nele.

*****

produto_pertissimo obra_pertissimo

Pertíssimo. A proximidade excessiva com a coisa pode te proibir vê-la nítida. Ultrapassar a linha do que venha a ser próximo para um mergulho para dentro, transfigura o real e te envolve na dimensão do sonho. Para a exposição Como Guiar-se em um Não Lugar, escolhi uma das fotos da série Pertíssimo, imprimi e colei como lambe-lambe no mesmo corredor onde foram expostas as Memórias Frágeis. Sobre o lambe, a frase manuscrita Ultrapassar a linha do que venha a ser próximo transfigura o real e te envolve na dimensão do sonho.

EXPOSITIVO

IMG_5089

IMG_5070

IMG_5072IMG_5069

IMG_5037

IMG_5083

IMG_5084

1

IMG_5080

IMG_5056

IMG_5057

IMG_5058

IMG_5059

IMG_5054

IMG_5028-2IMG_5033      IMG_5078   IMG_5066       IMG_5079    IMG_5090

Se eu fosse escolher uma frase que amarrasse a exposição, ela seria a que assina os trabalhos Como Guiar-se em um Não Lugar e Fronteira: Para além das fronteiras o espaço se amplia.

CLIPAGEM
[clique nos links abaixo para ver as matérias]

Catraca Livre
Revista OGrito!
Blog da Fundação Joaquim Nabuco
Jornal Destak
Portal Nuvem
LeiaJá
Portal Cultura PE
JC Online
Olinda Turismo
NE 10
Facienda
Cultura Alternativa
Isso é Pernambuco Visse
Do Livro

[fotos Nathalia Queiroz]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s